jusbrasil.com.br
22 de Novembro de 2017

Novo valor do depósito recursal: confira a atualização determinada pelo TST

O Tribunal Superior do Trabalho definiu os novos valores dos depósitos recursais.

EBRADI
Publicado por EBRADI
há 4 meses

O Tribunal Superior do Trabalho fixou os novos valores dos depósitos recursais que passarão a viger a partir de 01/08/2017.

O depósito recursal – também conhecido como depósito judicial trabalhista – consiste em requisito de admissibilidade recursal imposto à reclamada que deseje recorrer da sentença ou acórdão desfavorável a seus interesses.


Insta salientar, todavia, por ordem lógica, que o depósito recursal somente é exigido nas condenações pecuniárias, pois o depósito recursal tem o fito de assegurar a execução da decisão, caso não esta não seja revertida por ocasião do recurso interposto.

Quanto à exigibilidade do depósito recursal, convém a observância do artigo 899 da CLT, in verbis:

Art. 899 - Os recursos serão interpostos por simples petição e terão efeito meramente devolutivo, salvo as exceções previstas neste Título, permitida a execução provisória até a penhora.
§ 1º Sendo a condenação de valor até 10 vezes o salário-mínimo regional, nos dissídios individuais, só será admitido o recurso inclusive o extraordinário, mediante prévio depósito da respectiva importância. Transitada em julgado a decisão recorrida, ordenar-se-á o levantamento imediato da importância de depósito, em favor da parte vencedora, por simples despacho do juiz.
§ 2º Tratando-se de condenação de valor indeterminado, o depósito corresponderá ao que for arbitrado, para efeito de custas, pela Junta ou Juízo de Direito, até o limite de 10 vezes o salário-mínimo da região.
§ 4º - O depósito de que trata o § 1º far-se-á na conta vinculada do empregado a que se refere o art. da Lei nº 5.107, de 13 de setembro de 1966, aplicando-se lhe os preceitos dessa Lei observado, quanto ao respectivo levantamento, o disposto no § 1º.
§ 5º - Se o empregado ainda não tiver conta vinculada aberta em seu nome, nos termos do art. 2º da Lei nº 5.107, de 13 de setembro de 1966, a empresa procederá à respectiva abertura, para efeito do disposto no § 2º.
§ 6º - Quando o valor da condenação, ou o arbitrado para fins de custas, exceder o limite de 10 vezes o salário-mínimo da região, o depósito para fins de recursos será limitado a este valor.
§ 7º No ato de interposição do agravo de instrumento, o depósito recursal corresponderá a 50% do valor do depósito do recurso ao qual se pretende destrancar.
§ 8º Quando o agravo de instrumento tem a finalidade de destrancar recurso de revista que se insurge contra decisão que contraria a jurisprudência uniforme do Tribunal Superior do Trabalho, consubstanciada nas suas súmulas ou em orientação jurisprudencial, não haverá obrigatoriedade de se efetuar o depósito referido no § 7º deste artigo.

Feitas as devidas ponderações, destaca-se o ato nº 360 de 13 de julho de 2017 fixou os novos valores do depósito recursal, vejamos:

Art. Os novos valores referentes aos limites de depósito recursal previstos no artigo 899 da Consolidação das Leis do Trabalho, reajustados pela variação acumulada do INPC/IBGE, no período de julho de 2016 a junho de 2017, serão de:
a) R$ 9.189,00 (nove mil, cento e oitenta e nove reais), no caso de interposição de Recurso Ordinário;
b) R$ 18.378,00 (dezoito mil, trezentos e setenta e oito reais), no caso de interposição de Recurso de Revista, Embargos e Recurso Extraordinário;
c) R$ 18.378,00 (dezoito mil, trezentos e setenta e oito reais), no caso de interposição de Recurso em Ação Rescisória.
Art. 2º Os valores fixados no artigo anterior são de observância obrigatória a partir de 1º de agosto de 2017.

CONFIRA, AQUI, O ATO Nº 360/2017.


44 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Morar no Canadá e estar longe do Brasil é um alento para a alma. Por aqui, não há Justiça Trabalhista e empregado não se faz vítima diante do empregador. A demissão ocorre em horas e a contratação, idem. Se quer aposentar, faça você a sua poupança e aposentadoria. Quer um "fundo de garantia"? Compre títulos da dívida pública. Quer aumento salarial? Produza mais e pare de choramingar. Não sem motivo os grevistas por aqui são apelidados de "dumby trash", a escória que geralmente recebe verba dos cofres públicos. Muitos deles são desprezados na vizinhança; e com razão. O bom de estar longe do Brasil é entender que o Brasil não tem solução: um povo que aceita passivamente o FGTS como um direito não merece ser levado a sério. Um povo que acha que um prestador de serviço que habitualmente labora na empresa duas vezes por semana é empregado "submisso" merece continuar morando nas latrinas urbanas que são as cidades brasileiras. A Justiça Trabalhista, como dizem por aqui, é o atestado terceiro-mundista do Brasil. continuar lendo

O Canadá tem 10 milhões de habitantes e o Brasil 200 milhões. São realidades sociais, histórico e culturais absolutamente distintas, de complexidades provavelmente incomparáveis. Os serviços públicos prestados pelo estado no Canadá são incomparáveis aos do Brasil, garantindo ao povo condições mínimas de vida impossíveis de se comparar com as do Brasil. Taxar sindicatos e grevistas de lixo é ter uma visão estreita e rudimentar da vida, da história e das condições sociais e materiais da vida humana sobre a terra, suas relações políticas, sociais, históricas e culturais. Revela uma estreiteza de visão que nos faz suspeitar da avaliação que você faz das condições de vida no Canadá. Acho que você está um pouquinho distante dos debates que se travam aqui assim como das condições de vida e de trabalho de milhões de pessoas, cujo número é superior em dezenas de milhões à população inteira do Canadá. A necessidade de uma justiça do trabalho é também resultante do descumprimento sistemático da lei e dos direitos dos trabalhadores por parte dos empregadores. Duvido que haja esse nível de desrespeito no Canadá e que não haja demanda judicial contra quem os pratica. Grande, senão a maior parte das demandas trabalhistas são relativas ao não pagamento de horas trabalhadas, ou seja, o empregador apropria-se do trabalho do empregado e não quer remunera-lo, calote puro e simples. Se o trabalhador dependesse da justiça comum para reivindicar e receber os seus direitos desrespeitados não receberia nunca, ainda assim é bastante recente a agilidade atual da justiça do trabalho, muito superior à da justiça comum. Debater com alguém que tem uma visão tão simplista da realidade é pura perda de tempo! continuar lendo

José, a ladainha do número de habitantes é incrível. Se não lhe prestam os 10 milhões de canadenses, viaje ao mundo da Alemanha, com seus 82 milhões espremidos no centro da Europa, onde igualmente as relações de emprego são tratadas sem vitimismo. Sei por conhecimento próprio. A sanha do brasileiro é imaginar que a Justiça Trabalhista é a resposta ao descaso, quando na verdade é a causa da balbúrdia e da aplicação das regras fabricadas por burocratas togados, que só sabem de empresa o quanto custa um cappuccino que lhes servem os servidores. O bom de tudo isso é que brasileiro, quando chega no Canadá, não custa muito a perder essa pose de vítima, de coitadinho e de "cheio de direitos". Não dou um ano ou voltam ao Brasil, ou aprendem a como funciona uma sociedade civilizada. Não me espanta que brasileiros inaptos, chegando aqui, implorem por mais assistencialismo. continuar lendo

Eu me criei na Irlanda. Meu primeiro emprego, aos 16 anos nas férias, foi carregando sacos de 50kg de farinha de peixe (que cheiro gostoso!), 12 horas por turno, 7 turnos por semana. Peguei este emprego porque quis ganhar muito dinheiro ligeiro, e ganhei! Voltei ano após ano. Não me senti explorado, me senti privilegiado por poder ganhar tanto.

No Brasil, vejo um círculo vicioso. Pela legislação, é muito arriscado dar emprego e muitas pessoas que poderiam gerar emprego já resolveram que não querem correr o risco. Portanto, emprego formal é escasso e a legislação praticamente obriga quem se arrisca a manter o posto de trabalho pelo resto do tempo.

Eu empregava 25 pessoas por muitos anos. Quando a minha atividade se tornou inviável e tive que encerrá-la, fui MULTADO em aprox. R$ 80 mil na demissão dos funcionários "sem justa causa". Fui castigado, tratado como um bandido, por ter gerado emprego durante décadas. Além das indignidades sofridas eventualmente na indústria da "Justiça do Trabalho", enfrentando páginas de mentiras e testemunhas compradas.

São as empresas que giram a economia de um país. Os empresários no Brasil deveriam ser tratados como heróis e não como bandidos. São eles que geram a riqueza que mantém a classe mandante e deveria enriquecer o país. Se fosse assim, talvez não teria 14 milhões de desempregados hoje. continuar lendo

Martin, na cabeça do brasileiro médio, do brasileiro defensor de CLT, você era um empresário malvado que explorou as vítimas até onde conseguiu, e que depois fechou a empresa apenas por diversão. continuar lendo

Gostaria de saber de você, primeiro-mundista, quanto um funcionário precisa trabalhar aí para adquirir um automóvel médio, ou uma residência simples. Outra coisa, por que empresas multinacionais não concedem aos trabalhadores do terceiro mundo, onde mantém unidades, os mesmos benefícios que nos países de orígem? Comparar um país que faz parte do UK com um país de terceiro mundo não é legal, lembra-se como o UK foi erguido? Pois então, quando sobra capital e há uma divisão de rendas, é fácil fazer negociações, agora tenta fazer isso em países que vendem o almoço para ter a janta. Impossível. São realidades bem diferentes. Há, e outra coisa, para o Brasil também é bom ter gente assim bem longe. continuar lendo

Márcio, as casas por aqui giram de 300 mil dólares canadenses a 1 milhão de dólares canadenses nos bairros medianos e a média de horas trabalhadas, por semana, é de 46 a 48h.

Ficou espantado? Quer vir aqui propor limitação de horas e chorar pela "dignidade do trabalhador"? Irão todos te devolver ao primeiro-mundo celetista, onde FGTS é "direito" com empréstimo compulsório ao estado abaixo da inflação e onde sinônimo de sucesso é se tornar servidor público.

Uma dica: no Canadá, o serviço de garçom tem remuneração similar a de médicos. O motivo? Gorjeta alguma entra no cálculo contábil da empresa, sequer para fins de arrecadação de impostos. Se quiser, pode vir aqui também ensiná-los sobre as benesses da legislação trabalhista brasileira, sem esquecer da proeza das OJs do TST que mais parecem um compilado de piadas burocratas. continuar lendo

Filipe L. M., se o Canadá é esta maravilha, que eu até acho que é, pois tem qualidade de vida, não há tanta disparidade entre salários, enfim, realmente deve ser melhor. Mas já que afirmas que o bom mesmo é estar longe do Brasil, então o faça de verdade, não vem querer dar opinião onde não queres estar. Fica aí com o teu mundo, que nós vamos continuar nos preocupando com o nosso, com todos os nossos defeitos, lutando contra a corrupção, contra oportunistas que volta e meia aparecem para darem suas opiniões furadas, como você. E provavelmente você e ou alguém de sua família, não teve competência para gerir alguma empresa aqui no Brasil e aí resolveram lamber o saco dos canadenses e ou qualquer outro povo que tenha uma qualidade de vida melhor que a média da qualidade de vida do povo brasileiro. E já que não queres estar aqui, fique aí no teu mundinho que nós ficamos aqui. continuar lendo

Márcio, as casas por aqui giram de 300 mil dólares canadenses a 1 milhão de dólares canadenses nos bairros medianos e a média de horas trabalhadas, por semana, é de 46 a 48h.

2 a 4 horas a mais que nós, o que isto tem de mais? Em quanto é indexada a hora mínima, não existe mínimo? Vamos supor que seja CAD$ 10,70 dólares, já que vc não mencionou, ou seja o indivíduo vai receber um salário de CAD$ 513,60 por semana, até aí tudo bem, o problema é que você superfaturou os valores das residências, lembro-lhe que hoje existe algo chamado internet, e em uma busca em qualquer corretora canadense, Century 21 por exemplo, encontra-se imóveis por 20% do valor informado por você, ou seja, com 30 meses de salário se compra uma residência. Já imaginou esta matemática aqui no Brasil?

Ficou espantado? Quer vir aqui propor limitação de horas e chorar pela "dignidade do trabalhador"? Irão todos te devolver ao primeiro-mundo celetista, onde FGTS é "direito" com empréstimo compulsório ao estado abaixo da inflação e onde sinônimo de sucesso é se tornar servidor público.

Países europeus têm jornada de 44 hs semanais. Só um detalhe, há alguns meses, em uma reportagem na revista Exame o Canadá aparecia com 42 horas semanais, uma das menores cargas mundiais, acho que eles erraram.

Uma dica: no Canadá, o serviço de garçom tem remuneração similar a de médicos. O motivo? Gorjeta alguma entra no cálculo contábil da empresa, sequer para fins de arrecadação de impostos. Se quiser, pode vir aqui também ensiná-los sobre as benesses da legislação trabalhista brasileira, sem esquecer da proeza das OJs do TST que mais parecem um compilado de piadas burocratas.

Por óbvio que aqui é diferente, afinal quem aqui chega a ser médico é porque desembolsou milhares ou talvez milhões de reais, esta tua afirmação só serve para demonstrar o que eu falei anteriormente, a divisão de rendas é fator imperioso na economia de um país. Além do mais, não estou falando das "benesses" da legislação, estou apenas falando que teu comentário é fora do contexto, sem nexo. continuar lendo

Silvério, trabalho por aqui em escritório de advocacia. Vivo bem e, o melhor, longe do Brasil. Ganho bem, meus filhos estão em excelentes escolas, seguros e longe do ambiente degradado das escolas brasileiras, mas o garçom do The Keg aqui ao lado ganha três vezes mais do que eu. Se quiser, posso te indicar a uma vaga de trabalho no restaurante, pois conheço os donos. Garanto que as suas frustrações serão solucionadas no primeiro ano. continuar lendo

Márcio, em Toronto, onde moro, não existe casa abaixo desse valor. Se quiser casa "barata", procure em Manitoba ou nos cafundós onde o imóvel seja barato devido à manutenção anual que custa de 15 a 30 mil dólares, onde imóvel não é investimento e sim gasto necessário. Há casas, sim, de 80 mil dólares, mas que precisam de reformas de mais de 200 mil dólares aqui em Toronto. Em Montreal, casas com mais de 30 anos e sem reforma são demolidas, pois sai mais barato construir uma nova que reformá-las.

Esse é o "sonho" que vendem nas TVs brasileiras.

Aliás, mesmo em Toronto o imóvel, a longo prazo, representa gastos, pois a reforma quinquenal beira os 50 mil dólares canadenses.

Um curso de medicina, em Toronto, não sai por menos de 300 mil dólares por ano nas grandes faculdades, considerando o maquinário obrigatório que deve ser adquirido pelos alunos.

Mas não contaram esses detalhes nas reportagens da TV ou nos artigos do wikipedia. É mais confortável imaginar que o curso no Canadá é barato.

Não entra na cabeça do brasileiro investir, por exemplo, em debêntures. É um mundo à parte, pois o brasileiro é adestrado como gado a sempre depender do governo. Uma vergonha. continuar lendo

Bom Dr. desisto, sabes que o que estamos debatendo é esta comparação insidiosa que você fez entre Brasil e Canada, porém, você está indo para outro caminho, tentando desmerecer a outra parte, citando a wikipedia como fonte de meu conhecimento. Se no Canadá é diferente, parabéns, mas no Brasil é assim. No Canadá o PIB per capita é de 43.248,53 USD (2015) enquanto no Brasil é de 8.538,59 USD (2015), se isto não for o suficiente para desmerecer tal comparação, então nada mais o fará mudar de ideia.
Abçs
PS. Estes dados não são da Wikipedia. continuar lendo

A discussão aqui acabou ficando um pouco acalorada e, concordo um pouco com a argumentação de cada uma das partes.

Todavia, o principal ponto negativo aqui no Brasil chama-se política, somo governados por políticos extremamente corruptos e interesseiros... e a pergunta é?

- Quem financia as campanhas desses marginais? OS EMPRESÁRIOS!
- Quem vota nesses marginais? O POVO!
- Quem elabora as Leis? OS MARGINAIS!

Entenderam? É um circulo vicioso que dificilmente terá fim, portanto, qualquer proposta, comparação ou apresentação de dados frios é inútil...

Eu acredito que a principal diferença entre o Brasil e outros países de primeiro mundo está na educação, brasileiro também é pouco politizado, basta sair as ruas e conversar com pessoas sobre política, Leis, direitos, etc e você verá o nível do negócio.

Apesar do fato de que é inegável a existência de pobres e miseráveis nos EUA hoje, assim como, se no Canadá existem casas que são tão ruins que não são consideradas investimento, com certeza é também porque existem pessoas que não tem condições de adquirir algo melhor, o que demonstra que também há divergências sociais.

Temos que destacar ainda que não foi o trabalhador brasileiro que criou o FGTS, ele foi criado no passado como uma forma de compensação pelo tempo de trabalho (vejam histórico), mas depois, algum político, daqueles mal intencionados do circulo vicioso que citei acima, foi lá e subverteu essa compensação e transformou numa máquina de sacanear patrão e empregado, sendo que o primeiro paga e o segundo não usufrui. continuar lendo

Parabéns, continue morando no Canadá e seja feliz. continuar lendo

Felipe, o José se rebela dizendo que "taxar sindicatos e grevistas de lixo é ter uma visão estreita e rudimentar da vida, da história e das condições sociais e materiais da vida humana sobre a terra, suas relações políticas, sociais, históricas e culturais", o que tem a ver vida humana sobre a terra com sindicatos? Aliás, confundiu-se o José, se referindo a sindicato ao invés de sindicalistas, estes sim, em sua maioria são vampiros de dinheiro, que sugam o trabalhador, e simplesmente vivem viajando, fazendo churrascada, melhorando o lado deles sob o pretexto de que estão trabalhando para o "sindicato", para o trabalhador, como fazia um ex-presidente, e ainda, Felipe, essa gente não mais trabalha. Em SP, por exemplo, se não me falha a memória, o programa Brasil Urgente, do Datena, mostrou assassinados cometidos para poder se manter no sindicato e, principalmente, na presidência deste. Aí vem o José falar em história e de condições sociais e materiais da vida humana sobre a terra, suas relações políticas, sociais, históricas e culturais; que absurdo, que inconsequência. Esses caras são verdadeiros bandidos, em um país sério eles não existem, mas se existissem estariam todos atrás das grades. Nosso país virou um antro de bandidos, ladrões e assassinos. Aqui tem cultura José, mas do "coitadismo", onde o trabalhador é um coitado, o bandido, assassino, estuprador é um coitado, com ampara dos direitos humanos (?); a vítima, essa sim, é a culpada, é a provocadora de toda essa miséria humana que nós vemos diariamente. CHEGA, porque do contrário vou fica escrevendo o dia todo. É ISSO AÍ. continuar lendo

O brasileiro não quer ver a realidade. Elogiam o subdesenvolvimento porque não possuem perspectiva de melhora. A esperança se foi há muito tempo. continuar lendo

Nos EUA, sequer tem CLT, nem ações trabalhistas. Aqui no Brasil, se cria lei para tudo. A OAB, juntamente com os advogados deveriam, lutar para mudar tudo no judiciário. Esses valores são característicos para se evitar recursos. Esta correto que em nossa classe, muitos colegas abusam de recursos indevidos e protelatórios. Nosso judiciário é uma velha esclerosada numa cadeira de rodas e um grande numero de advogados estão lá para dar tapinha nas costas da velhinha e dizer que ela vai melhorar. Parei de advogar pois não consigo conviver com essa inércia. Tenho dó da sociedade que precisa usar o judiciário. Alias, como qualquer outro serviço público. continuar lendo

Que a nossa (In) Justiça do Trabalho abuso um pouco lá eu concordo, todavia, quem lhe disse que nos EUA não há ações trabalhistas lhe pregou uma grande peça! Lá não há justiça especializada do trabalhos, mas há muitas ações trabalhistas sim... continuar lendo

Igual ao Colega. Passei a ter nojo da justiça e não consigo mais advogar. continuar lendo

É um absurdo o depósito recursal. Os valores são absurdos. É só para inibir o empregador a negociar, mesmo estando correto. Na maioria das vezes as ME não tem como pagar o valor do depósito. E ainda tem que pagar a taxa judiciária de 2% da condenação. continuar lendo

Você (como muitos) observa o contexto individual da questão. Você já leu a reforma trabalhista aprovada por Temer? Nela é dito que um processo trabalhista tem prazo de 8 anos para ser julgado em definitivo. Se passar disso, o processo é extinto.

Em um novo cenário onde a ideia das empresas será de protelar, protelar, protelar até a ação ser extinta (caducar), aumentar os valores dos recursos torna-se uma estratégia efetiva, pois muitas ações trabalhistas são de valores irrisórios. Quando o empregador vê o custo para recorrer, prefere fazer logo um acordo e pagar os valores devidos ao ex-colaborador.

Com processos durando menos, a carga processual do judiciário trabalhista cai e com ela os processos mais complexos passam a ter maior celeridade e vão ser encerrados antes do prazo de 8 anos estipulado pelo governo Temer.

Os empresários pressionaram o governo Temer para que a reforma trabalhista fosse aprovada e negaram ouvir a justiça trabalhista quanto as questões. Agora, o próprio judiciário usa-se da mesma arma para reorganizar suas custas e inibir que empresas usem da má fé aberta pela reforma de Temer para não pagar o que deve ao funcionário. continuar lendo

Eu concordo no sentido de que esses valores apenas servem para que as empresas de grande porte recorram. Algumas, inclusive, o fazem para "jogar para frente" o pagamento de eventual condenação e adiar o cumprimento da Sentença. Ao passo que uma empresa de pequeno porte dificilmente conseguiria depositar R$ 9100,00 apenas para interpor um recurso ordinário, por exemplo. No fim das contas caso o Empregado tenha razão, o mais vantajoso, seria realizar um acordo e caso contrário, provar da melhor maneira possível que quem possui a razão é o Empregador, dependendo do caso e rezando para que o Juiz de Primeira Instância analise as provas e o processo corretamente e decida de maneira justa. Isso, sem sombra de dúvidas, limita o acesso ao Judiciário. continuar lendo

Nos EUA, comumente citado, para a relação de emprego é constantemente informado que não existe conflitos trabalhistas. Infelizmente, Infelizmente, assim compreendo que exaltar as atitudes de outros países , comparando com referência ao que nos é comum, estamos diante de um desconhecimento, ato costumeiro a aqueles que, quando distantes, se julgam superiores e com capacidade para julgar e condenar o seu país de origem. O conflitos existentes nas relações de empregos, em sua grande maioria ocorrem sempre fundamentados nos descumprimentos às Leis pertinentes.(O desrespeito). O empregado é a parte principal para o resultado positivo do empreendedor (Empregador), mas, na maioria das vezes é explorado, na sua essência (responsabilidade) e, quando, não é mais necessário, perde o seu valor. Os EUA, desde os primórdios de sua colonização, buscaram o sentimento patriótico construir uma nação para o bem próprio. América para o americano e o Americano para a América. Enquanto aqui no Brasil, desde o início da colonização, jamais existiu esse espírito voltado para os interesses de se alcançar uma grande nação. Basta observar o início da nossa Independência. Infelizmente fatos que ainda nos dias atuais ainda ocorrem. Explorar para se obter o lucro a todo custo. Quantos operários brasileiros enriqueceram com o seu labor? Criticar o seu próprio povo, comparando-o com o de outra nação é uma confissão de quem ainda não evoluiu.Creio que esse não é o pensamento daqueles que realmente conhecem a origem de uma nação, o seu início, a sua liberdade e a exploração imposta. Nenhuma Nação se desenvolve se os seus nacionais não conviverem em sólida união. Não união política, pois, esta já está maculada há muito tempo. Mas a união de Respeito e Responsabilidade. Enquanto existir exploradores e apropriadores, a Justiça do trabalho se faz necessária. O Operário somente busca o direito que lhe fora sonegado. Falar sem conhecimento de causa é, na verdade, um ato injusto. continuar lendo

Discordo. Primeiro lugar temos que fazer comparações sim. Por que então temos o "direito comparado"? Segundo, se a maioria dos empregados são explorados, significa dizer que a maioria dos empregadores são exploradores, o que não é verdade. Se, exploração existe, e isso é fato, é porque o Estado falhou, aliás uma ou a mais importante deficiência do Estado brasileiro, em todas as áreas chama-se FISCALIZAÇÃO. Se nós tivéssemos uma Fiscalização, e essa fosse idônea, honesta, responsável, consciente e cumpridora de suas obrigações, com certeza reduziríamos muito a carga trabalhista. Nosso país não será dos brasileiros e brasileiros serão do Brasil, enquanto não tivermos EDUCAÇÃO, enquanto o brasileiro não aprender que ele está sendo contratado para trabalhar 8 horas, mas trabalhar, sem fazer corpo mole, sem jeitinho, sem "atestados médico" falsos (olha a EDUCAÇÃO aí). Na minha cidade, um Polo Naval fracassou porque dentre outras causas, a principal foi política (enganadora do seu lula e dna. dilma), os trabalhadores que para cá vieram, de todos os cantos do Brasil, em sua maioria, eram malandros, gostavam muito de beber cerveja, comprar carrinhos e rebaixá-los, e muito som (alto volume) automotivo. A maioria de dessa "gente", não todos é lógico, eram baianos, cariocas, nordestinos.
Faltou o que? EDUCAÇÃO para eles, e com isso, contribuíram para "quebrar" o Polo Naval. A responsabilidade é só dos políticos? Não, é do Judiciário também. Por que os Juízes (e aqui insiro os Policiais, já com vistas a violência) não se reúnem, através de suas entidades, em fazem uma "marcha à Brasília" impondo ao Congresso Nacional, para façam leis mais duras, proibindo esses penduricalhos que são acrescidos aos contratos de trabalho a cada negociação, que acabam sufocando as empresas e gerando a redução de admissões ? Exigindo leis mais duras, no caso da violência, para bandidos, sem benefícios e com trabalho no presídio, de forma que, se condenado a 15 anos de prisão os cumpra integralmente? Sabe por que isso não acontece? Porque toda essa gente precisa garantir os seus bons salários. Simples. continuar lendo

O mau das pessoas é comparar a realidade do Brasil com outros países. Quando temos países, que alcançaram um desenvolvimento cultural, financeiro e economico, ao longo de sua história através de erros e acertos, é fácil notar a diferença quando tudo vai bem. Comparando dentro do Brasil, o carioca e o paulista, dizem que o carioca é preguiçoso. Verdade ou mentira? Sabemos que é uma comparação equivocada. Se Eu sair do Estado do Rio de Janeiro e viajar para o Rio Grande do Sul, notarei uma diferença gritante, amados não confundam história com estoria. Toda lei criada é porque houve um motivo e todo sistema criado teve um fundamento. As revisões, alterações necessárias só o tempo irá mostrar. Desconsiderar a nacionalidade de uma nação é condená_lá sem conhecimento de causa. Sou Brasileiro com muito orgulho. continuar lendo

Nem perca seu tempo explicando. Não adianta. continuar lendo

Só me resta lamentar e não comentar. continuar lendo